Vamos brindar à solidão como maior virtude,
e que ninguém nos tire o prazer de sermos sozinhos.
Se for para ser sozinho, que seja com você.
Sejamos nós então a solidão completa, e mais ninguém.
Vamos beijar a testa dos menores;
estender as mãos para os que estão no chão,
e se possível, deitaremos ao seu lado;
dormiremos então como criança cansada de brincar.
Faremos sonhos para que todos sonhem também;
e que ninguém acorde antes do sonho acabar.
Vamos esquecer o passado
e fazer do agora nossa melhor forma de sorrir.
Presentearemos com o presente todos os que sentem o passado como dor.
E que todo passado seja simplesmente passado,
e todo presente seja exatamente a forma mais simples de sorrir.
Vamos construir nosso lar dentro de toda chuva que cai.
Pegaremos essas nuvens carregadas e faremos delas o nosso abrigo.
Dividiremos cada gota de chuva com os que querem se molhar também;
com aqueles que não tem medo de abrir os olhos em dias escuros.
E que nosso lar seja escuro toda hora e só se ilumine com risos e melodias;
melodias de dia de chuva,
pois somente desejo o sol para os que não sabem brilhar sozinhos.
Vamos cantar o dia todo;
gritar e gritar sem parar!
E que nada possa nos preocupar.
Nem vizinhos;
nenhum deus.
A vida é nossa.
A música quem canta somos nós.
E que ninguém nos separe quando nos abraçar-mos,
pois que me tirem o coração e o meu sonhar,
mas não meus braços para te abraçar.
Que venha o fim dos mundos!
Que venha o profeta lá do ar.
Somente quero nós dois juntos e,
por favor,
dê-me a sua voz para ouvir,
sua boca para beijar e seus olhos para olhar.
Chore! Pode chorar!
Sou eu que estou aqui.
Sou eu quem exugará teu rosto,
pois sei que é você quem irá enxugar o meu quando eu
também chorar.
Vamos voar do meu mundo ao teu, do teu ao meu.
E que essa seja nossa viagem eterna.
Estaremos mais alto que tudo e todos!
E nenhuma visão irá nos alcançar,
nenhuma mão nos pegarará.
Nada de promessas ou perdões.
Somos livres para estarmos onde quisermos.
Seja neste céu aberto ou nesta terra deserta.
Você vê alguém? Eu também não.
Que continue assim,
pois nada poderá arrancar nossas asas agora.
Vamos largar tudo para trás.
Qualquer lágrima feita ao acaso,
que fique para trás;
nos deixem em paz.
Ah! É você quem eu quero;
toda noite vou te desejar.
Pedirei à estrela mais distante que a noite nunca se acabe.
Que a lua sempre venha a ficar,
e nos dê só um pouquinho de luz para eu te ver respirar.
Então que seja tua respiração o meu conforto;
teu silêncio minha perdição.
Você, minha queda sem fim!
Pois farei de ti meu maior pecado.
E sim, quero ser o maior pecador que este mundo já viu.
Nenhuma regra nos prenderá.
Nenhuma vinda nos fará voltar.
E que ninguém perca tempo em nos visitar,
pois a porta estará trancada.
E não haverá ninguém em casa.
O mundo nos espera.
O mundo é para poucos,
e desse pouco só quero você.
Vamos dançar a música que a vida nos toca.
Girar entre árvores e calçadas como flores ao vento.
Flores com o perfume mais gostoso que a alma pode nos dar.
E que nossas almas sejam libertas de nossos corpos ao
dançar-mos.
Que todo perfume da alma se espalhe no ar,
pois nada irá se prender a nós.
Nada irá nos impedir de dançar.
E quando a música acabar,
que venha mais música,
pois jamais me cansarei de ser teu par.
Então vamos fazer de tudo o mais simples possível.
Pois que seja o simples o começo do perfeito,
e toda perfeição é o que desejo pra nós.
Te amo mais que o próprio amor.
Te quero mais que o próprio querer.
Então que seja mais que amor!
Que seja muito mais que querer!
Pois nada será o suficiente;
nada do que eu disser cansará meu peito.
Tudo me levará a você.
Pois que todos ouçam e perguntem o porquê.
E nada, mas nada à eles irei dizer!
Pois só você me entende;
então, que me faça morrer.
Pois irei contra qualquer lei,
e nascerei denovo só para te encontrar;
te encontrar e dizer: – Te amo!
E sim, tudo isso é pra você!

Anúncios