É aqui nesse canto
Que fiz minha casa.
Em baixo do pranto
Que fez minha asa.

Lágrima pequena
De um voo hostil.
Voa, voa, pena!
Sê aquele senil!

Nega teus espaços
Para o fim da era
Dos ventos escaços.

E na vil quimera
Voar é pedaços
De toda uma espera.

Anúncios