Em acaso deslise,
subo num alto luar.
Paro em cadência de
êxtase constante e,
contemplo estrelas a sorrir.
São astros e luzes
desenhando um momento
sem fim.
São crateras de um peito ferido
que fazem raios dum sol vazarem
desse eclipse de ser.
Se é, não sente;
só pensa no quanto tudo está bem.
Alívio imediato
salvando um coração cansado.
Ah! Meu coração agora
…………………….[tão alto;
tão longe deste mundo
de pequenos.
E sorri; e agrada a si mesmo
por ser tão diferente.
Tão aliviado em olhar
lágrimas lavando almas de chão.

Anúncios